Auto Esporte e Botafogo estreiam nesta terça na Copinha
  2 de janeiro de 2017  -    19h35  -   Por    -   Em  Futebol

Auto Esporte e Botafogo estreiam nesta terça na Copinha

A Principal competição de categoria de base do Brasil, a 48.ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior inaugura o calendário nacional de 2017 com recorde de clubes. Ao todo, serão 120 clubes divididos em 30 grupos – superando o recorde de 2016 de 112 times e 28 grupos – nesta primeira fase.

O torneio começa oficialmente, nesta segunda-feira, com duas partidas pelo Grupo 07: Ferroviária x Villa Nova-MG, às 18h45, e Palmeiras x Paranoá-DF, às 21h. A decisão está agendada para acontecer dia 25 de janeiro, data de aniversário da cidade de São Paulo.

Jogo a jogo estaremos acompanhando com detalhes, principalmente, os dois representantes paraibanos.

A exemplo do que ocorreu neste ano, a Copa SP contará com sete fases. Na primeira fase, os 120 times serão distribuídos em 30 grupos de quatro clubes cada. Avançam os dois primeiros de cada grupo. A partir da segunda fase, as disputas serão sempre em duelos eliminatórios, com jogo único até chegar à decisão.

Atual campeão em cima do Corinthians, o Flamengo tentará repetir o feito da última edição para alcançar o bicampeonato e o quarto título da história. O time corintiano, por sua vez, espera manter a hegemonia, já que é o recordista de títulos com nove taças. Cinco a mais que o Fluminense, segundo colocado.

Outros dois gigantes paulistas, assim como o Flamengo, tentarão o quarto título. São os casos de Santos e São Paulo, que já levantaram o troféu três vezes cada. O mesmo não se pode dizer do Palmeiras, que ainda luta pela conquista inédita da Copinha. Outros time de São Paulo que já foram campeões são Nacional, Ponte Preta e Portuguesa, todos com duas taças, além de Juventus, Guarani, América, Paulista, Marília e Santo André, com um título.

A viagem do São Raimundo só é maior que sonho do Pérolas Negras, time de futebol formado por jogadores do Haiti, país com o pior índice de desenvolvimento humano das Américas (IDH de 0,483 para 2014, conforme a ONU). A equipe disputará a Copinha pelo segundo ano seguido e tenta ao menos pontuar. Algo que não ocorreu em 2016.

Apesar de ter sede em Porto Príncipe, capital do nação caribenha, o clube só existe graças à organização social brasileira Viva Rio. Quem sabe o torneio não possa significar início de uma nova vida para estes atletas, vítimas de pobreza, guerras e desastres naturais sofridos pelo país.

 

Fonte:  PB Esporte

deixe seu COMENTÁRIO